Há mais ou menos um mês, recebi um convite para ser madrinha de um casamento que acontecerá em 20 de abril de 2012. Em outras palavras, tenho seis meses pra achar um vestido de madrinha. SEIS MESES!!!!!

Prazer, eu sou a louca do vestido. Raramente uso esta peça na vida real e quando surge a oportunidade de ser rycah e glamurosa eu tiro pelo menos uma pessoa do sério até achar o look perfeito. Minha tia, coitada, foi a vítima da minha festa de formatura – a única vez que usei um longo, diga-se de passagem.

Veja bem, um belo dia alguém inventou que chique é usar “tomara que caia”. Pouco importa se você vai ficar puxando seu vestido pra cima a cada minuto e que ainda corra o risco de sair com as “asas” levantadas em algumas fotos. Tomara que caia é luxo, é fino, é pra você mulher brasileira que tem os seios perfeitos, os braços finos e o pescoço de uma diva. No meu caso eu fico com tudo o que tem de cafona mesmo, obrigada.

Mas dessa vez tudo há de ser diferente. Chegou o momento de usar uma profissional na importante e precoce tarefa de encontrar um belo modelo que me permita usar sutiã, ficar confortável, linda, magra e alta. Ok, já tá legal se eu puder usar sutiã e não cometer a gafe de usar as cores proibidas. (Você sabia que não é de bom tom usar as mesmas cores que a mãe e a sogra da noiva? Pois é, nem eu.)

Thais Denker irá me assessorar na escolha do look do dia. Da maquiagem ao cabelo (que eu já escolhi) tudo vai ter que passar pelo aprove dela. E eu vou compartilhar essa experiência aqui no blog pra enlouquecer vocês também. Já adianto que a tarefa não é das mais fáceis. Ainda mais tendo só seis meses pra escolher. Quem diria hein, Raquel….

Dica 1: Tô parecendo uma maluca tirando fotos das fotos das revistas toda vez que vou fazer as unhas no salão. Mas pelo menos já tenho umas referências dos modelos que eu usaria.

Foto da foto na Revista Caras e o cabelo must have.